Procon de Rondônia orienta consumidor para as compras de Natal

O Natal está se aproximando e muitas lojas, para atrair a atenção dos consumidores, estão com as vitrines repletas de sugestões e promoções. Qualquer que seja a opção, desde uma pequena lembrança a um presente de custo elevado, para não errar na escolha, o programa de Orientação, Proteção e defesa do consumidor (Procon) em parceria com a Associação dos Procons do Brasil orientam que é preciso levar em conta o perfil dos presenteados, sem esquecer de considerar a disponibilidade financeira, pois uma compra consciente pode garantir uma comemoração agradável e evitar futuros problemas.

“Planejar os gastos é essencial para fugir das tentações das novidades e não comprar nada que não seja realmente necessário e vá ser usado”, alerta Rui Costa, coordenador estadual do Procon em Rondônia, ressaltando que, além disso, no início do ano vêm as despesas com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto sobre Propriedade de Veículos (IPVA) e material escolar.

Escolhido o presente, é hora de pesquisar preços, pois estes variam entre os estabelecimentos. A pesquisa também deve ser feita se a opção do consumidor for comprar pela Internet. Nessas situações, o consumidor deve ficar atento ao endereço eletrônico, que deve começar com https:// e ao cadeado de segurança que deve aparecer na tela.

É importante, ainda, imprimir o comprovante da compra com a descrição do pedido e pedir um e-mail de confirmação que deve conter a data de entrega do produto. Sites que não disponibilizam telefone, endereço e CNPJ devem ser evitados. Deve-se também evitar efetuar compras em sites que tenham domínio fora do País, sem o “.com.br”.

Como acontece com as demais compras efetuadas fora de estabelecimento comercial (catálogo, telefone, porta a porta), nas compras pela Internet, o consumidor tem um prazo de sete dias após o recebimento da mercadoria ou da assinatura do contrato de serviço para desistir da contratação. Além disso, todos os valores pagos devem ser restituídos, inclusive o frete.

O apelo é grande, e o Procon estadual alerta que as informações sobre o preço a vista e a prazo, o número de parcelas, e ainda as taxas de juros mensais e anuais, devem estar afixadas em local de fácil acesso de forma legível e clara.

Sempre que possível é preferível comprar a vista e pechinchar descontos. Se a compra for a prazo, o consumidor deve ficar atento às taxas de juros e número de parcelas para evitar gastos desnecessários. “É importante, ainda, conhecer o produto que se pretende comprar”, aconselha Rui Costa.

Ao adquirir um eletroeletrônico, por exemplo, a recomendação é pedir uma demonstração do produto, para conferir se ele está funcionando corretamente. Verificar se o manual de instruções está em português e se o certificado de garantia e a nota fiscal acompanham a mercadoria, também é fundamental.

É preciso observar as embalagens dos produtos, que devem ter todas as informações em português. Alimentos e cosméticos devem apresentar, entre outros, dados de: registro no órgão competente, prazo de validade, composição, volume ou quantidade, o fabricante ou importador. No caso de roupas e calçados, é importante verificar a possibilidade de troca se o presente não agradar, pois a troca é garantida pelo Código de Defesa do Consumidor somente se o produto apresentar defeito e após ser levado para a assistência técnica.

Reclamações e orientações podem ser realizadas através das regionais localizadas nos municípios de Ariquemes (3536 1128), Guajará Mirim (3541 2366), Ji-Paraná (3423 8833), Porto Velho (3216 1026), Rolim de Moura (3442 9091) e Vilhena (3322 4941).