Amanda Nunes garante que vai nocautear Ronda Rousey na sexta-feira

Amanda Nunes vive situação curiosa: mesmo campeã dos galos do UFC, ainda é vista por muitos fãs e críticos do MMA como zebra contra Ronda Rousey, que retorna ao octógono mais de um ano após ser destronada na próxima sexta (30), na luta principal do UFC 207, em Las Vegas. Nada que incomode a baiana de 28 anos.

“As pessoas pensam mesmo, eu já estou acostumada com essa coisa de ser azarona, sempre zebra”, afirmou em entrevista nesta terça-feira (27). “Desde a primeira luta nos EUA, cheguei como zebra e nocauteei minha adversária em 14 segundos. Isso vai acontecer também com a Ronda, não sei se em 14 segundos, mas vai acontecer, vou nocautear a Ronda. Vou ser honesta com você, eu sou a melhor, com certeza.”

Apesar da vitória indiscutível contra Miesha Tate no UFC 200, no qual finalizou a então campeã com um mata-leão para arrancar o cinturão dos galos, Amanda sabe o peso de sustentar o cinturão. Que mais difícil que vesti-lo, é fazer carreira com ele na cintura. Ela reconhece que terá de mostrar tudo contra o maior nome do MMA feminino da história.

“Pelo fato de essa luta ser contra a Ronda, que durante muito tempo dominou essa categoria, as pessoas ainda pesam que ela pode fazer o que fez no passado, mas não pode. Essa é a luta que tenho que mostrar tudo, vou mostrar por que sou campeã, que estou aqui para ficar, eu sou a melhor do mundo, esse cinturão pertence a mim, essa luta é minha”, acrescentou Nunes, que fala com a mesma firmeza com que bate.

A atual campeã também falou sobre sua preparação. Segundo ela, não é por que Rousey é conhecida por sua excelência no judô, nos movimentos de chão, que ela mudou a forma de se preparar, ainda mais com todo o repertório que demonstrou até chegar ao topo no UFC.

“Minha preparação foi massa, eu gosto de treinar tudo na academia, treinando tudo todos os dias a gente vai evoluindo, para estar preparada em todos os aspectos, em cima, embaixo, quadril, no chão, como um todo. Eu sempre gosto de treinar assim em todas as oponentes, melhorar minhas armas para chegar bem, não mudei por que é a Ronda”, explicou.

Fonte: UOL